Viagem pelas ruas da amargura

"As viagens devem ser um instrumento à procura do fantástico,nunca o suporte de uma devoção complacente" - Baptista-Bastos

segunda-feira, março 26, 2007

Que dia triste...

A figura de António Oliveira Salazar, o homem que disse que um povo culto é ingovernável, acaba de ganhar o concurso "Grandes Portugueses" com mais de 40% dos votos (telefonemas…) de 200 e tal mil portugueses.

Voto de protesto? Falta de distanciamento em relação à História Contemporânea? Não sei, não tenho 50 anos, tantos quantos a RTP assinala, mas é profundamente triste ver num passatempo, como repetidamente Maria Elisa teve necessidade de lhe chamar, que a escolha da maioria vai direitinha para o pior que tem…. a História de Portugal!

Ficam-me na memória, porém, duas imagens: uma francamente positiva, a de Aristides Sousa Mendes, homem simples que soube dar Humanidade à função desempenhava no, seguramente, momento mais difícil da sua vida, “conquistando” quase 20% dos “votos”; outra, o alerta de Fernando DaCosta: “Conheço famílias, aqui, em Lisboa, que deixaram de usar gás, porque não podem pagar, e voltaram a utilizar o petróleo que se usava há 40 anos”.

Tudo isto é ainda mais difícil de engolir porque sucede no mesmo dia em que por toda a Europa se assinalou o 50.º aniversário do Tratado de Roma, o tal documento que singelamente pretendia paz, prosperidade e desenvolvimento para o Velho Continente.

Que dia triste... :-(

Vou nanar...

1 Comentários:

Às 10:00 da tarde , Blogger Daniela disse...

foi de facto triste. é triste ver que portugal continua a ser tão atrasado.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial